Pesquisar

sábado, 1 de setembro de 2012

Com 99 jogos pelo Fla, Deivid deixa ‘dureza’ e Inacreditável F.C. para trás

Nesta sexta-feira, Deivid rescindiu seu contrato com o Flamengo. Com 99 jogos desde agosto de 2010, o atacante não chegou a ter qualquer movimentação para festejar a marca de 100 partidas que se aproximava. Com 31 gols em dois anos, Deivid ficou 24 meses sem receber seus direitos de imagem, que eram a maior fatia do seu alto salário. Apesar de ter procurado seus direitos na Justiça ainda com contrato em vigor, o atacante jamais demonstrou falta de profissionalismo.

ltos e baixos
Com a saída, Deivid deixa os tempos de dureza para trás e tenta apagar o Inacreditável Futebol Clube do currículo. No confronto pela semifinal da Taça Guanabara, depois de receber passe de Léo Moura, o camisa 9 desperdiçou chance incrível quando o placar marcava 1 a 1 (vídeo abaixo). O Vasco venceu (2 a 1) e deixou o Rubro-Negro fora de decisão. Deivid virou alvo de gozações e críticas, mas no dia seguinte ao jogo não se omitiu.


Governo vence eleição com folga em Angola, mostra resultado parcial

MPLA, partido do governo, conseguiu uma vitória tranquila nas eleições nacionais de Angola, segundo resultados provisórios divulgados neste sábado (1º) pela comissão eleitoral. Com 58% de votos apurados, o partido do presidente José Eduardo dos Santos teve 74,46% dos votos, segundo a comissão.
A Unita, tradicional opositora do regime de Santos, está com 17,94% dos votos, seguida do novo partido oposicionista, o Casa, com 4,53%.

erceira eleição nacional
Esta foi apenas a terceira eleição nacional desde que Angola conquistou a independência de Portugal em 1975, e a segunda desde o fim de uma guerra civil de 27 anos há uma década, cujas cicatrizes ainda podem ser vistas em edifícios danificados e vítimas de minas terrestres amputadas.
A previsão era de que o MPLA (Movimento Popular para a Libertação de Angola) vencesse confortavelmente, contra partidos de oposição menores e mais fracos.


Dois homens morrem em operação do Bope

Dois homens, ainda não identificados, morreram em confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), em uma operação dos policiais na manhã deste sábado (1), na comunidade Nova Holanda, no Conjunto de Favelas da Maré. Eles foram levados ainda com vida para o Hospital Geral de Bonsucesso, por volta das 9h30, mas, segundo informações fornecidas pelo hospital, não resistiram. O hospital não informou ao G1 o nome dos suspeitos.

Operação
A operação começou por volta das 7h, quando o serviço de inteligência recebeu informações sobre tráfico de drogas da região. Segundo o batalhão, os feridos entraram em confronto com os policiais quando o Caveirão entrou na comunidade. Não há mais incursão policial na favela, mas o Batalhão de Choque e homens do 22º BPM estão nas pistas de acesso ao Conjunto de Favelas da Maré para que as vias não sejam fechadas. A Linha Vermelha ficou fechada por 15 minutos. Os manifestantes chegaram a apedrejar veículos e colocaram fogo na pista. Na Avenida Brasil, a interdição durou menos de 10 minutos, mas provocou retenção na altura de Ramos.

Rio e Guarulhos têm maior concorrência por vaga de vereador

Rio de Janeiro e Guarulhos (SP) são as duas cidades do país onde será mais difícil um candidato se eleger vereador, segundo levantamento do G1 com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em ambas, a proporção é de 33 candidatos para cada vaga. No Rio, a Câmara Municipal tem 51 cadeiras e há 1.713 candidatos. Em Guarulhos, são 34 vagas e 1.128 candidatos.
Somente mais três cidades têm relação candidato-vaga igual ou superior a 30 – Belo Horizonte (31), Nova Iguaçu-RJ (31) e Salvador-BA (30); veja na tabela ao lado as 20 maiores taxas.
O município onde os candidatos terão a menor dificuldade para conquistar uma vaga no Legislativo é São Domingos de Pombal (PB), onde há dez candidatos para nove vagas (Leia: "Só um candidato não será eleito vereador em cidade da Paraíba").
O levantamento do G1 mostra que o número de vagas nas câmaras municipais aumentou 10,4% desde a última eleição municipal.
Neste ano, são 5.437 novas cadeiras graças a uma emenda constitucional aprovada no Congresso. Mas o número de candidatos subiu 28,5%, passando de 349.793 postulantes na última eleição para 449.670 no atual pleito.
Nas cidades mais concorridas, também ficou mais difícil ser eleito. Em 2008, a relação candidato-vaga era de 25,5 em Guarulhos e de 25,45 no Rio de Janeiro. A cidade com a maior disputa era Belo Horizonte, com 26 candidatos por vaga.
A concorrência por uma vaga no Legislativo não supera a do curso mais procurado da Universidade de São Paulo (51,18 por vaga em medicina em 2012), mas é maior do que a de muitos dos oferecidos na USP, que é a universidade brasileira mais bem posicionada em rankings internacionais.